O que você precisa saber ao comprar um imóvel na planta

Comprar um imóvel na planta traz muitas vantagens, como valores mais acessíveis, entrada facilitada, valorização após a construção, instalações novas e modernas e a possibilidade de personalizar alguns detalhes do imóvel.

Entretanto, adquirir um imóvel na planta também pode ser bastante arriscado, afinal, você está comprando algo que de fato ainda não existe. Por isso, é preciso ficar muito atento ao fazer uma negociação desse tipo para não ser enganado ou prejudicado. Confira algumas dicas:

1. De olho na construtora

Pesquise a construtora. Só faça negócio com empresas confiáveis, que costumam respeitar prazos e cumprir o prometido. Procure reclamações da construtora no Procon, converse com moradores de outros empreendimentos, visite outras construções para observar falhas como rachaduras e verifique se a empresa tem pendências na Justiça. Não aceite tudo o que o corretor fala, vá atrás do histórico real da construtora.

2. Verifique documentos do imóvel na planta

Agora você já sabe que a construtora é confiável segundo outros moradores, mas será que a documentação está nos conformes? Vá até a Prefeitura e confirme que não há nenhum impedimento em relação ao terreno ou à obra. Verifique se há um registro no Cartório de Registro de Imóveis e peça para ver o memorial descritivo da obra, que é obrigatório e indica todas as características e detalhes da obra.

3. Vá até o lugar

Não dá para comprar um imóvel na planta apenas com base na maquete ou nas informações do corretor. Ir ao local da construção permite entender o entorno: vizinhança, infraestrutura, possibilidade de alagamentos, descobrir se há festas na região, entre outros. Acompanhe o andamento da obra para ter certeza que tudo está seguindo o prometido e que não haverá atraso ou paralisação da obra.

4. Verifique se a empresa tem patrimônio de afetação

O patrimônio de afetação é uma garantia maior para o comprador em caso de falência da construtora, garantindo a indenização do valor já investido, pois a lei determina que o patrimônio de afetação não pode se confundir com o patrimônio da empresa nem ser utilizado para concluir outra obra.

5. Faça as contas

É importante fazer as contas e ver se as parcelas e reajustes cabem no seu bolso, afinal, você não quer correr o risco do seu imóvel ir a leilão depois de ter pago boa parte das prestações e estar perto da entrega do imóvel.

6. Tudo pode ser usado como prova

Guarde folhetos, propagandas, anotações dos corretores e e-mails trocados. Caso você precise entrar na Justiça futuramente essas informações e documentos podem ser utilizados como provas.

7. Cuidado com cobranças indevidas

Taxas de corretagem, documentação o outras devem ser averiguadas antes de serem pagas. Confirme com seu advogado se a cobrança está correta antes de pagar. Cuidado também com a política de juros.

8. Atenção ao seguro

Quem deve ser o beneficiário do seguro é o comprador, não a construtora. Se for o contrário, em caso de atraso na obra a construtora é quem vai receber a indenização, e não o morador, que ficará no prejuízo.

Compartilhe com seus amigos:

Este post tem um comentário

Comentários encerrados.